Por que as expectativas podem levar à desilusão?

Se você é casado, as chances são de que você tenha tido uma boa quantidade de altos e baixos, desafios difíceis e momentos em que o divórcio passou pela sua cabeça. Perceba que suas expectativas têm um impacto significativo sobre como você está vivenciando seu casamento.

Aqui estão algumas perguntas para se fazer:

  • Seu casamento está nas rochas?
  • Você está infeliz ou insatisfeito em seu casamento?
  • A grama parece mais verde do outro lado da cerca?
  • Você está desapontado porque o seu casamento não é o que você esperava que fosse?
  • Você acha que outros casamentos não experimentam tédio, solidão, trapaça ou falta de sexo?
  • Você acredita em um casamento perfeito?
  • Você acha que sua esposa pode fazer você feliz?
  • Você está pensando em deixar seu casamento?
  • Você está pensando em divórcio?
  • Você se acha pensando "Isso é tudo o que existe?"
  • O senso de espontaneidade e faísca está faltando em seu casamento?
  • Você está ressentido com seu cônjuge?

Desilusão no casamento

Se você respondeu sim a algumas (ou a maioria) dessas perguntas, é provável que seja "desilusão" conjugal. Esse tipo de desilusão é na verdade bem normal. Muitas vezes há um "ciclo de romance" que inclui desilusão e alegria.

O nível de felicidade não muda instantaneamente quando você caminha pelo corredor. Problemas não desaparecem magicamente. Ser capaz de tomar uma decisão de amar e ir além dos sentimentos de decepção ou ressentimento é a chave principal para ter um casamento duradouro.

Caminhos para o desapontamento e a infelicidade

Há muitos caminhos diretos para a decepção e a infelicidade em um casamento:

  • Falsas expectativas.
  • Acreditar em mitos sobre o casamento.
  • Pensando que alguém pode te fazer feliz.
  • Acreditar que seu esposo deve poder ler sua mente.
  • Pensando que seu cônjuge deve ser capaz de satisfazer todas as suas necessidades.
  • Querendo fazer tudo juntos.
  • Perdendo a si mesmo e quem você é.
  • Querendo ter um casamento perfeito.
  • Constantemente comparando seu casamento com os outros com base em suposições.

Formas de sair da desilusão

  • Coloque-se no topo da sua lista de tarefas.
  • Faça uma decisão de amar.
  • Discuta as expectativas uns dos outros sobre o seu casamento.
  • Peça o que quiser.
  • Aceite que seu casamento não é perfeito.
  • Abrace e beije seu cônjuge com frequência.
  • Não deixe a raiva assumir. Aprenda a deixar ir e perdoar.
  • Descubra o que está acontecendo em sua vida.
  • Não seja manipulador ou permita-se ser manipulado.
  • Pense nas mudanças que você pode fazer para ser um parceiro melhor.

Quando é hora de sair?

O que acontece quando as sugestões acima não funcionam? Pode ser hora de deixar seu casamento quando:

  • Há abuso físico ou emocional ou adultério em série.
  • Há ressentimento, agonia, dor ou infelicidade sustentados e você não tem mais energia para lutar pelo seu relacionamento.
  • Você mencionou seus desejos, que não são irracionais, e seu cônjuge se recusa a responder.
  • Você está mais triste do que feliz em seu casamento.
  • Você sugere obter ajuda e seu cônjuge se recusa.

Acordar chamada

Lembre-se de que a contínua desilusão em seu casamento pode ser um alerta para você, se você está aceitando que seu casamento é garantido ou se seu casamento está em uma rotina.

Você pode procurar aconselhamento de casais profissionais, ler um livro de autoajuda de relacionamento ou tentar um workshop de casais. Só é preciso que um de vocês traga este tópico de conversa de uma maneira sensível. Fale do coração e diga como se sente. Não apenas reclame do problema, ofereça algumas soluções.

Não esqueça o positivo

O casamento é geralmente alegre, gratificante e divertido. Às vezes, no meio da vida diária, você pode esquecer o aspecto positivo de estar em um relacionamento matrimonial. Relembrar o que te atraiu para o seu cônjuge em primeiro lugar. Reflita sobre os pontos fortes que você tem em seu casamento, pois eles provavelmente estão lá!

Assista o vídeo: Não criar expectativas - Pe. Fábio de Melo - Programa Direção Espiritual - 22/08/2012

Deixe O Seu Comentário